quinta-feira, abril 13, 2006

pausa

Assim como a voz aprende o silêncio,
Assim como o olho aprende a não ver
Assim minha mão aprende o aceno
E minha cabeça aprende a esquecer.
Assim como a pele sente o que é frio,
Assim como o vôo sente o que é chão,
Assim o meu pé aprende a escada
E o próximo passo paira no vão
E faz sua pausa discreta o meu coração.

Todo dia tem novidade na feira,
Todo dia tem novidade no front,
Todo dia alguém vai subir a ladeira,
Todo dia alguém vai cantar no odeon,
Todo dia o show recomeça no circo,
Todo dia dorme este velho leão,
Todo dia pausa discreto o meu coração.

Assim como o ócio aprende o ofício,
Assim como a arte aprende a vender,
Assim o meu riso aprende o ocaso
E o meu descanso aprende a correr.
Assim como o dia brinca de noite,
Assim como a lua brinca de sol,
Assim a poeira pousa de estrela
E o vagalume sonha um farol,
Eu sonho que sou apenas um rouxinol.

terça-feira, abril 11, 2006

poeta é Deus

Eterno é Deus,
Tudo o mais é só folha de alfazema
Que o vento leva no doce perfume da açucena,
Águas passadas nas longas braçadas do moinho,
Leve desenho na pena de um livre passarinho.

Eterno é Deus,
E o resto é a sombra de uma nuvem
Sobre a corrente das águas que de repente surgem
E prontamente se escoam na sequidão da terra,
Um pensamento, uma flecha do arqueiro, quando erra.

Poeta é Deus,
Sou apenas o verso de um poema.
Ele é palavra, eu sou o desejo de um fonema,
Verso branco, breve
À espera do seu tema.

Eterno é Deus,
Tudo o mais é uma gota de sereno
Que de manhã cobre a folha da grama no terreno.
Ao meio-dia é apenas lembrança pouca e vaga,
É trilha incerta, é uma estrada deserta e ensolarada.

Poeta é Deus,
Sou apenas poeira do caminho.
Ele é o rio que me leva assim, devagarinho,
Pela vida afora, nunca mais sozinho.

palavra de amor


Uma palavra de amor
Vale por todos os sons,
Todos os sins, todos os nãos,
Todos os ais, todos os tons,
Cura uma dor, cessa o chorar,
Tira um rancor, no seu lugar
Planta uma flor e espera até brotar.

Uma canção de amor
Vale por todo o calar,
Todo o sofrer, todo e esperar,
Todo o correr, todo o chegar,
Faz conhecer, faz procurar,
Faz antever, faz enxergar
E receber o sol antes de nascer.

Uma palavra de amor é tão doce
Que todo o amaro se torna o amor
Todo silêncio é como se fosse um cantar.